Vida e Técnica: Ressonâncias do pensamento de Canguilhem em Simondon

Elton Corbanezi

Resumo


A realidade da máquina, diz Simondon, é humana. Porém, não é pensando-a em semelhança ao organismo humano que se deve apreendê-la de modo a estabelecer uma relação outra – que não seja autocrática e instrumental – com os objetos técnicos. Diante disso, pretende-se demonstrar como Simondon desenvolve algumas das noções fundamentais de sua tese complementar, Du mode d’existence des objets techniques [1958], calcado nesse princípio, mas não descartando uma filosofia biológica da técnica, uma vez que sua ontogênese dos objetos técnicos pode encontrar ressonâncias no vitalismo fisiológico de Canguilhem, apresentado em Le normal et le pathologique [1943]. Assim, experimenta-se a idéia de que Simondon estabelece sua filosofia dos objetos técnicos por meio da diferenciação com os seres vivos, mas uma diferenciação operada por analogia ao mundo animado, para então, como ação política do pensamento filosófico, pensar a relação e tensão do homem com o mundo, intermediadas pela técnica, como um continuum natural-cultural.

Palavras-chave


Cultura; Técnica; Natureza; Organismo; Potência

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-1654.21956

Direitos autorais