Fotografias co-produzidas da situação de trabalho: imagens em ato da atividade em saúde

Miguel Maia, Claudia Osório

Resumo


Neste artigo discutimos a complexidade relacional que é o trabalhar em saúde, com forte prescrição sobre a subjetividade e um possível dispositivo para a análise desta atividade. Em seguida, aproximando Yves Clot, Gilles Deleuze e Félix Guattari, enfatizamos a atividade laboral como um processo no qual emergem, ao mesmo tempo, trabalhador e trabalho em um plano de atravessamento heterogêneo de forças. Ao final, analisamos a Oficina de Fotos, conforme efetivada por nossa equipe de pesquisa, como um dispositivo potente de uso da experiência como fonte de novas experiências, redescobrindo a atividade, deslocando o pesquisador e o pesquisado de seus lugares instituídos, o que amplia o poder/saber de ambos e instrumenta uma nova ferramenta para a análise das atividades de trabalho, dando ênfase à pesquisa da subjetividade conforme instrumentada na ação.

Palavras-chave


Atividade. Subjetividade. Dispositivo. Análise do Trabalho.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-1654.12447

Direitos autorais



INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática. e-ISSN: 1982-1654 ISSN Impresso:1516-084X