Devires contemporâneos: Mutações do homem, do trabalho e da tecnologia

José Mário d'Avila Neves, Tania Mara Galli Fonseca

Resumo


A partir observação de que o ambiente tecnológico da revolução industrial – com seus fluxos materiais impulsionados pelas esteiras fabris e seu regime mecânico-geométrico – fez emergir a forma do “operário” como sujeito do trabalho, o texto problematiza o que está emergindo hoje no ambiente tecnocientífico da tecnologia digital – com seus fluxos imateriais, sua tendência virtualizante e seu modelo informático-molecular. O exame do impacto da tecnologia digital sobre todas as esferas do viver e, em especial, do trabalhar, revela a emergência de um novo sujeito do trabalho – uma nova imagem do trabalho na forma do “agenciador tecnoafetivo”, como o agente híbrido que trabalha na escala molecular das interfaces, onde se organizam as passagens entre reinos e onde as singularidades constituintes dos homens e das coisas se enlaçam num duplo devir.

Palavras-chave


Palavras-chave: Tecnologia Digital. Trabalho. Subjetivação. Ciência e Civilização. Revolução Tecnológica.

Texto completo:

PDF () PDF () PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-1654.10212

Direitos autorais



INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática. e-ISSN: 1982-1654 ISSN Impresso:1516-084X