Uma linguagem de padrões indígena : o reflexo do seu modo de ser

Cruz,$space}Juliana Tassinari
Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
abril, 2008
Texto completo (portal externo)
 

Resumo

Sabe-se que as comunidades tradicionais lutam por viver em terras que compreendam as características do seu território original. Tais comunidades são consideradas profundas conhecedoras de estratégias de sustentabilidade dos ambientes onde vivem, sendo fortemente conectadas com ambientes naturais e com os recursos encontrados no local. No entanto, de acordo com a bibliografia, as áreas normalmente disponíveis para o assentamento das comunidades indígenas estão longe de possuir a capacidade de suporte à sua tradição. O presente estudo envolve uma reflexão a respeito da comunidade indígena Mbyá Guarani, localizada no município de Palmares do Sul / RS / Brasil, mais especificamente sobre seus padrões de construções e de ocupação dos espaços. O estudo, portanto, foi direcionado para questões práticas e estudos empíricos, onde a observação, expressão gráfica e entrevistas foram as principais fontes de evidência. A estratégia de pesquisa proposta foi a pesquisa-ação, visando identificar as reais necessidades da comunidade, assim como, avaliar o aprendizado e as mudanças decorrentes do processo de pesquisa. Parte do problema de pesquisa incluiu a participação da comunidade no desenvolvimento de projetos e construções na aldeia. Na etapa final foi proposta a utilização do estudo desenvolvido pelo arquiteto Christopher Alexander, The Pattern Language, como guia para construção de uma linguagem de padrões indígena para a comunidade Mbyá Guarani do Tekoá Yryapú. Espera-se que este estudo possibilite um melhor entendimento sobre a configuração das aldeias Mbyá Guarani, construídas de acordo com sua própria linguagem. Espera-se, também, que este estudo auxilie na compreensão da diversidade de etnias indígenas no Brasil, cada uma com diferentes características das avaliadas nesta pesquisa. Conseqüentemente, através desta atenção dada à comunidade indígena, busca-se compreender seus valores, presentes nos espaços que ocupam, nas suas construções e nos seus processos construtivos.