O kañe (olhar) na cidade : práticas de embelezamento corporal na infância feminina Kaingang

Brum,$space}Luciana Hahn
Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
novembro, 2011
Texto completo (portal externo)
 

Resumo

Esta dissertação tem como questão central as noções de beleza feminina corporal da infância feminina Kaingang moradora da cidade. A investigação foi realizada com dezesseis meninas com idades entre quatro e doze anos residentes em uma comunidade indígena localizada no bairro Lomba do Pinheiro em Porto Alegre. A pesquisa se desenvolveu entre os anos de 2009 e 2011 e buscou investigar, analisar e discutir em que medida as representações de beleza dos corpos femininos veiculadas nos meios de comunicação funcionam como pedagogias visuais e afetam as noções de beleza corporal feminina das meninas Kaingang. Procurou ainda compreender como essas meninas Kaingang absorvem as práticas de embelezamento e da cultura da cidade ao se relacionarem em diferentes territórios urbanos. Foram analisados aspectos corporais relacionados aos marcadores de gênero, classe social, raça e cor como construções históricas, sociais e culturais. A pesquisa de campo de cunho participante foi embasada em aportes da etnografia e em referenciais teóricos dos Estudos da Infância, Estudos Culturais e da Cultura Visual. As análises foram qualitativas nas quais foram cruzados os dados gerados a partir dos dizeres, desenhos e registros fotográficos das meninas Kaingang. Os resultados demonstraram que as meninas Kaingang da cidade possuem preocupações com a aparência de seus corpos que influenciam em suas feminilidades. Pela forma de lidarem com suas peles e cabelos, suas maneiras de vestir e se comportar as análises denotaram que suas valorações quanto ao que consideram ser belo e feio nos corpos femininos são absorvidas por meio das pedagogias culturais e visuais. A investigação explicitou ainda, que as meninas Kaingang sofrem influências dos ambientes territoriais nos quais circulam. Os meios midiáticos ou mesmo sociais e culturais da cidade reverberam nos valores que atribuem à beleza dos corpos femininos e, consequentemente, em suas identidades femininas infantis.