ORGANIZAÇÃO INDÍGENA E ENSINO SUPERIOR BRASILEIRO

Elizabeth Ruano Ibarra, Victoria Miranda, Gabriel Ribeiro

Resumo


A criação, em 2008 e 2010, da Associação dos Acadêmicos Indígenas da UnB (AAIUnB) e do Centro de Convivência Multicultural dos Povos Indígenas (Maloca-UnB) constitui ações políticas interétnicas que interpelam a estrutura elitizada da universidade. A análise se embasa nos conceitos de interculturalidade, ação política indígena, corpo-território e epistemicídio. A revisão documental, a observação e as entrevistas abertas facilitaram a coleta de dados empíricos. Como resultado se destaca que a presença indígena é fundamental para a institucionalização, não sempre dinâmica, de políticas universitárias que garantam a permanência de sujeitos epistêmicos historicamente marginalizados do ensino superior.
Palavras-chaves: Maloca-UnB. AAIUnB. Lei de Cotas.

Palavras-chave


Maloca-UnB. AAIUnB. Lei de Cotas.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-6524.80282

Qualis Área de Avaliação Classificação ANTROPOLOGIA / ARQUEOLOGIA B1 CIÊNCIAS AMBIENTAIS B2 COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO B2 DIREITO B3 EDUCAÇÃO B3 HISTÓRIA B3 INTERDISCIPLINAR B2 LINGUíSTICA E LITERATURA B2 LINGUíSTICA E LITERATURA B2 MEDICINA II B5 PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL / DEMOGRAFIA B3 PSICOLOGIA B3 SOCIOLOGIA