DESLOCANDO A ESCOLA: OCUPAÇÃO E DESOCUPAÇÃO MBYÁ DA ESCOLA KARAÍ NHE’E KATU

Eduardo Santos Schaan

Resumo


A partir de uma oficina audiovisual com alunos da escola da Aldeia Nhundy, da parcialidade mbyá-guarani, faço uma reflexão sobre a escola indígena em relação à agência de alunos e professores mbyá. Os alunos deslocaram a realização das oficinas para domínios espaciais de suas vivências e evitavam permanecer em espaços e lógicas estatizantes presentes na escola. Essa desocupação da sala de aula produz novas relações de aprendizagem entre os alunos e eu. A presença do caminhar, como um relativo mbyá da predação, e da vontade individual são ressaltados. A agência dos professores indígenas mbyá também é refletida. Estes não podem se deslocar fisicamente da escola para escapar de sua força estatizadora. Assim, operam o segundo deslocamento tratado nesse texto, ocupando a escola com lógicas mbyá e estimulando a presença da comunidade em espaço escolar. Esses são dois modos de se deslocar e se desterritorializar das lógicas escolares de caráter colonial e disciplinar a partir da agência local mbyá.

Palavras-chave


escola indígena; aprendizagem; Mbyá-Guarani

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-6524.68671

Qualis Área de Avaliação Classificação ANTROPOLOGIA / ARQUEOLOGIA B1 CIÊNCIAS AMBIENTAIS B2 COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO B2 DIREITO B3 EDUCAÇÃO B3 HISTÓRIA B3 INTERDISCIPLINAR B2 LINGUíSTICA E LITERATURA B2 LINGUíSTICA E LITERATURA B2 MEDICINA II B5 PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL / DEMOGRAFIA B3 PSICOLOGIA B3 SOCIOLOGIA