O RIO: LUGAR SAGRADO DA LITERATURA AMERÍNDIA

Autores

  • Edson "Krenak" Dorneles UFSCar - Universidade Federal de São CArlos

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-6524.33493

Palavras-chave:

Rio, literatura, semiótica.

Resumo

O rio nos convida a ver de mil formas: lente e embaçamento dos olhos, é uma pedagogia perspectivista. Em suas perenes mas inconstantes águas, nos conduz a nômades segredos revelados sobre a natureza humana. Perspectivismo e inconstância são duas vertentes para compreender a literatura ameríndia, tal como a navegamos neste ensaio. Eduardo Viveiro de Castro. Escritores indígenas desse Brasil. Milton Hatoum. Guimarães Rosa. Almas ameríndias que ora mergulham ora flutuam nessas águas revoltosas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edson "Krenak" Dorneles, UFSCar - Universidade Federal de São CArlos

Mestrando no programa de Estudos literários no Centro de Ciências Humanas

Downloads

Publicado

2012-12-23

Como Citar

DORNELES, E. "Krenak". O RIO: LUGAR SAGRADO DA LITERATURA AMERÍNDIA. Espaço Ameríndio, Porto Alegre, v. 6, n. 2, p. 76, 2012. DOI: 10.22456/1982-6524.33493. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/EspacoAmerindio/article/view/33493. Acesso em: 6 out. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS