A PRESENÇA DE NÃO-ÍNDIOS NAS VILAS DE ÍNDIOS DE PORTO SEGURO: RELAÇÕES INTERÉTNICAS, TERRITÓRIOS MULTICULTURAIS E RECONFIGURAÇÃO DE IDENTIDADE – REFLEXÕES INICIAIS

Francisco Cancela

Resumo


O presente artigo apresenta algumas reflexões sobre os contatos interétnicos entre índios e não-índios nas vilas de índios da Capitania de Porto Seguro, entre os anos de 1758 e 1820. Partindo da identificação dos sujeitos não-indígenas, buscamos apresentar a idéia de que as vilas de índios se transformaram em um território multicultural, onde brancos, mulatos, pardos, negros e índios mantiveram vários contatos condicionados ao contexto geral do processo de conquista e colonização da América portuguesa. Ao mesmo tempo, estas relações possibilitaram uma reconfiguração identitária, uma vez que forjaram experiências de solidariedade, de resistência e de percepção da própria condição em que viviam os índios e os degredados.

Palavras-chave


vilas de índios, relações de contato, Capitania de Porto Seguro, identidade

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-6524.2545

Qualis Área de Avaliação Classificação ANTROPOLOGIA / ARQUEOLOGIA B1 CIÊNCIAS AMBIENTAIS B2 COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO B2 DIREITO B3 EDUCAÇÃO B3 HISTÓRIA B3 INTERDISCIPLINAR B2 LINGUíSTICA E LITERATURA B2 LINGUíSTICA E LITERATURA B2 MEDICINA II B5 PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL / DEMOGRAFIA B3 PSICOLOGIA B3 SOCIOLOGIA