O DISCURSO ETNOGRÁFICO NA REVISTA DO IHGB: 1840-1860

Almir Bauler, Ernesto Jacob Keim

Resumo


Tendo como objetivo a construção de uma história nacional que atribuísse ao então independente Estado brasileiro um caráter de nação, cabia ao recém-criado Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB) a produção de uma memória/história marcada pela busca retroativa das raízes do império, cabendo à ciência histórica fornecer ares de cientificidade para o projeto proposto através de “verdades” históricas alicerçadas em ampla análise de documentação e no conceito “historicista” próprio do século XIX. Com ares de tribunal, aos intelectuais integrantes do instituto, cabia a função de visibilizar fatos e personagens do passado e sentenciar outros ao permanente esquecimento, tendo como objetivo primeiro, forjar um passado que nos identificasse, no presente, a uma grande “nação brasileira”, entendida, em tal projeto, enquanto herdeira da civilização europeia nos trópicos. Através de publicações realizadas pelos integrantes do Instituto em sua Revista trimestral, o presente artigo tem como finalidade realizar levantamento dos discursos etnográficos proferidos por estes, frente a uma sociedade que se pretendia homogênea, branca e europeia, mas que, em sua realidade, se constituía étnica e socialmente heterogênea.

Palavras-chave


Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro; etnografia; nação.; Etnografia; Nação.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-6524.24319

Qualis Área de Avaliação Classificação ANTROPOLOGIA / ARQUEOLOGIA B1 CIÊNCIAS AMBIENTAIS B2 COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO B2 DIREITO B3 EDUCAÇÃO B3 HISTÓRIA B3 INTERDISCIPLINAR B2 LINGUíSTICA E LITERATURA B2 LINGUíSTICA E LITERATURA B2 MEDICINA II B5 PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL / DEMOGRAFIA B3 PSICOLOGIA B3 SOCIOLOGIA