REELABORANDO CÓDIGOS E INTERMEDIANDO CULTURAS: DIEGO QUISPE TITO E AS POSSIBILIDADES DE ATUAÇÃO DE UM RENOMADO ARTISTA INDÍGENA DURANTE O PERÍODO COLONIAL

Eduarda Ferrari Soletti

Resumo


Este artigo foi desenvolvido para tornar-se uma contribuição aos estudos recentes que buscam evidenciar o papel fundamental que as artes visuais desempenharam dentro do projeto colonizador das Américas. Situando a análise no Vice-Reino do Peru, durante o século XVII, o objetivo central da escrita é evidenciar a trajetória e atuação do pintor indígena Diego Quispe Tito a partir de análises produzidas acerca de algumas de suas obras produzidas na Escola Cusquenha de Arte. Para abordar a atuação deste pintor indígena dentro de um espaço criado pelos espanhóis, foi aplicado o conceito de “homem ordinário” desenvolvido por Michel de Certeau (1994). Partindo desta categoria, é possível pensar na obtenção de pequenas liberdades e na reelaboração de códigos ocidentais exercidas por Quispe Tito dentro do ambiente em que circulava.

Palavras-chave


Vice-Reino do Peru; Escola Cusquenha; Diego Quispe Tito; “homem ordinário”; indígenas.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-6524.109298

Qualis Área de Avaliação Classificação ANTROPOLOGIA / ARQUEOLOGIA B1 CIÊNCIAS AMBIENTAIS B2 COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO B2 DIREITO B3 EDUCAÇÃO B3 HISTÓRIA B3 INTERDISCIPLINAR B2 LINGUíSTICA E LITERATURA B2 LINGUíSTICA E LITERATURA B2 MEDICINA II B5 PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL / DEMOGRAFIA B3 PSICOLOGIA B3 SOCIOLOGIA