Livro e prisão – o caso Em câmara lenta, de Renato Tapajós

Sandra Reimão

Resumo


Esse artigo aborda a prisão do escritor Renato Tapajós, em 1977, motivada pela publicação de seu livro Em câmara lenta. Trata-se do único caso de um escritor preso durante a Ditadura Militar devido ao conteúdo de um livro. Trata-se mesmo de um caso único na história recente do País da prisão de um autor devido a um romance. Busca-se entender a especificidade desse processo e seu lugar na história do livro no Brasil. Defende-se a idéia de que a prisão de Renato Tapajós deu-se como uma tentativa de ação preventiva das forças da repressão à publicação de livros de memórias de militantes de esquerda.

 


Palavras-chave


Renato Tapajós. Censura. Ditadura militar. Década de 1970.

Texto completo:

PDF




Em Questão | ISSN 1808-5245 | EQ no Facebook | EQ no Google Scholar

Classificação Qualis: A2 - Comunicação e Informação; B2 - Ciências Ambientais; B3 - Administração, Ciências Contábeis e Turismo; B4 - Sociologia; B5 - Engenharias I.

Programa de Pós-graduação em Comunicação  | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705, sala 519 | CEP 90035-007 | Porto Alegre, RS, Brasil | Fone: (51) 3308 2141| E-mail: emquestao @ufrgs.br 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária do San Francisco Declaration on Research Assessment (DORA)