Deficiente versus Pessoa Portadora de Deficiência: uma análise discursiva dos jornais Zero Hora e Correio do Povo

Ruvana De Carli

Resumo


Esta pesquisa consiste em uma leitura do noticiário sobre pessoas portadoras de deficiência nos jornais Zero Hora e Correio do Povo, de Porto Alegre, sob a perspectiva da Análise do Discurso. Com o objetivo de .desnaturalizar. o processo de produção do discurso jornalístico em relação à forma como retrata a pessoa portadora de deficiência, questiona-se se esse retratar reforça ou não o estigma do déficit. Em um corpus de 87 notícias, publicadas entre 1º de agosto e 30 de setembro de 2001, foram mapeadas as formações discursivas dominantes e identificados alguns dos enunciadores que as originam, localizando-se as falas oriundas de duas vertentes: das entidades assistenciais e profissionais que trabalham com pessoas portadoras de deficiência, de um lado, e dos movimentos sociais, de outro . vozes que permeiam o discurso jornalístico e ajudam a configurá-lo. Buscou-se compreender as condições específicas de produção do discurso jornalístico e identificar a tensão existente entre os discursos emergentes dos movimentos sociais de pessoas portadoras de deficiência, os discursos circundantes e que versam a respeito destas pessoas e o discurso jornalístico sobre esta parcela da população. Considerou-se que, anteriores ao discurso jornalístico, existem duas linhas discursivas dominantes circulando nos campos político e social: a linha da cidadania, que é o discurso das pessoas portadoras de deficiência e se refere aos movimentos no sentido de buscar autonomia e igualdade de condições de acesso aos vários campos da vida; e a linha do assistencialismo, um discurso sobre, que circunda as pessoas portadoras de deficiência, fundando sua perspectiva pelo viés do déficit: a pessoa portadora de deficiência seria alguém a quem, antes de mais nada, falta algo e, por isso, precisa de atendimento externo.

 


Palavras-chave


Pessoa portadora de deficiência; discurso jornalístico; cidadania; assistencialismo

Texto completo:

PDF




Em Questão | ISSN 1808-5245 | EQ no Facebook | EQ no Google Scholar

Classificação Qualis: A2 - Comunicação e Informação; B2 - Ciências Ambientais; B3 - Administração, Ciências Contábeis e Turismo; B4 - Sociologia; B5 - Engenharias I.

Programa de Pós-graduação em Comunicação  | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705, sala 519 | CEP 90035-007 | Porto Alegre, RS, Brasil | Fone: (51) 3308 2141| E-mail: emquestao @ufrgs.br 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária do San Francisco Declaration on Research Assessment (DORA)