A ubiquidade das artes nos ambientes virtuais de contemplação: imergindo na Pinacoteca do estado de São Paulo

Fábio Rogério Batista Lima, Plácida Leopoldina Ventura Amorim da Costa Santos

Resumo


As contínuas mudanças tecnológicas afetam diretamente as relações de trabalho, família, comunidade, nos quais o lugar e o espaço deixam de ser concretos e absolutos e passam a ser, segundo o pensador polonês Zygmunt Bauman, “líquidos e relativos”. Estudamos o museu de artes Pinacoteca do Estado de São Paulo, a partir das heurísticas da Arquitetura da Informação Pervasiva (AIP). O estudo de caráter teórico e de nível descritivo e exploratório teve como base a observação sistemática qualitativa da bibliografia coletada. Como resultado, concluímos que as heurísticas da Arquitetura da Informação Pervasiva podem servir de subsídio na práxis de futuras elaborações de Arquitetura da Informação Pervasiva, direcionadas aos ambientes virtuais de contemplação das artes.


Palavras-chave


Museu. Arquitetura da informação. Arquitetura da informação pervasiva. Ubiquidade. Heurísticas.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19132/1808-5245241.174-193



Em Questão | ISSN 1808-5245 | EQ no Facebook | EQ no Google Scholar

Classificação Qualis: A2 - Comunicação e Informação; B2 - Ciências Ambientais; B3 - Administração, Ciências Contábeis e Turismo; B4 - Sociologia; B5 - Engenharias I.

Programa de Pós-graduação em Comunicação  | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705, sala 519 | CEP 90035-007 | Porto Alegre, RS, Brasil | Fone: (51) 3308 2141| E-mail: emquestao @ufrgs.br 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária do San Francisco Declaration on Research Assessment (DORA)