Sensacionalismo: inoperância explicativa

Márcia Franz Amaral

Resumo


O artigo mostra a fragilidade do conceito de sensacionalismo no estudo do segmento popular da grande imprensa e evidencia sua baixa densidade explicativa por designar especificidades de ordens diversas que, ao serem reunidas num só conceito, nos afastam da complexidade do objeto. O sensacionalismo normalmente é associado a uma visão economicista da imprensa, uma noção elitista de cultura e uma abordagem unívoca do jornalismo. Apontamos a complexidade dos discursos abrangidos sob o rótulo sensacionalista em que estão imbricados tanto o circuito do capital, quanto o da produção e circulação simbólica.


Palavras-chave


Jornalismo; sensacionalismo; imprensa popular

Texto completo:

PDF




Em Questão | ISSN 1808-5245 | EQ no Facebook | EQ no Google Scholar

Classificação Qualis: A2 - Comunicação e Informação; B2 - Ciências Ambientais; B3 - Administração, Ciências Contábeis e Turismo; B4 - Sociologia; B5 - Engenharias I.

Programa de Pós-graduação em Comunicação  | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705, sala 519 | CEP 90035-007 | Porto Alegre, RS, Brasil | Fone: (51) 3308 2141| E-mail: emquestao @ufrgs.br 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária do San Francisco Declaration on Research Assessment (DORA)