Corporeidade Discursiva na Imprensa Feminina: um estudo de editoriais

Adriana Braga

Resumo


O presente artigo trata da instituição de um padrão idealizado de corporeidade feminina operado nos discursos da chamada “imprensa feminina”. Tal proposição de sentido é analisada a partir dos editoriais de quatro revistas femininas veiculadas entre setembro de 2001 e fevereiro de 2002, nos quais o processo de construção da fotografia da capa é explicitado como estratégia discursiva, realizando em discurso a modelização de um corpo feminino “ideal”. Assim, na medida em que este processo midiático colabora e reforça matrizes culturais já existentes, articulo este fenômeno discursivo à problemática mais geral da definição social de papéis de gênero em nossa sociedade.

 


Palavras-chave


Gênero feminino; corpo feminino; imprensa feminina

Texto completo:

PDF




Em Questão | ISSN 1808-5245 | EQ no Facebook | EQ no Google Scholar

Classificação Qualis: A2 - Comunicação e Informação; B2 - Ciências Ambientais; B3 - Administração, Ciências Contábeis e Turismo; B4 - Sociologia; B5 - Engenharias I.

Programa de Pós-graduação em Comunicação  | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705, sala 519 | CEP 90035-007 | Porto Alegre, RS, Brasil | Fone: (51) 3308 2141| E-mail: emquestao @ufrgs.br 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária do San Francisco Declaration on Research Assessment (DORA)