Crescimento, diversidade e sobrevivência: o conceito de vitalidade aplicado em um estudo cientométrico

Maria de Fatima Santos Maia, Sônia Elisa Caregnato

Resumo


Aborda a estrutura e a dinâmica das atividades de produção científica na área das Ciências da Saúde no Brasil. Partiu-se do pressuposto de que a vitalidade da ciência pode ser identificada através de características sobre produtividade de autores, longevidade de instituições, diversidade temática e canais de divulgação. Por meio da identificação dessas características específicas, foram apontados indícios que representam diferentes graus de vitalidade. Analisando 117.521 artigos de autores brasileiros publicados entre 1987 e 2011 em periódicos indexados pela base de dados bibliográfica Medline, foram identificadas características de vitalidade em cada um dos 27 estados da federação. Os resultados revelaram que, na área das Ciências da Saúde no Brasil, há muita disparidade entre os estados e que os maiores graus de vitalidade científica estão localizados nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.

Palavras-chave


Comunicação científica. Padrões de comunicação científica - Brasil. Ciências da Saúde. Cientometria.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19132/1808-5245213.368-389



Em Questão | ISSN 1808-5245 | EQ no Facebook | EQ no Google Scholar

Classificação Qualis: A2 - Comunicação e Informação; B2 - Ciências Ambientais; B3 - Administração, Ciências Contábeis e Turismo; B4 - Sociologia; B5 - Engenharias I.

Programa de Pós-graduação em Comunicação  | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705, sala 519 | CEP 90035-007 | Porto Alegre, RS, Brasil | Fone: (51) 3308 2141| E-mail: emquestao @ufrgs.br 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária do San Francisco Declaration on Research Assessment (DORA)