Metafísica romântica (verniz científico): a Gestalt não é uma teoria da comunicação visual

Marcelo Santos

Resumo


Não é difícil encontrar em trabalhos devotados ao estudo da comunicação visual referência a autores provenientes da Gestalt, notadamente Donis A. Dondis e Rudolf Arnheim. Neste artigo, as bases goetheanas que fundamentam o pensamento gestáltico serão investigadas, objetivando-se demonstrar que a Gestalt, longe de aporte científico, é a abusiva extrapolação de certos postulados românticos. Isto posto, sob nenhum aspecto, eis a tese aqui defendida, a abordagem gestáltica pode ser tomada como uma teoria séria da imagem, devendo ser rejeitada.

Palavras-chave


comunicação visual; Gestalt; ciência.

Texto completo:

RESUMO PDF




Em Questão | ISSN 1808-5245 | EQ no Facebook | EQ no Google Scholar

Classificação Qualis: A2 - Comunicação e Informação; B2 - Ciências Ambientais; B3 - Administração, Ciências Contábeis e Turismo; B4 - Sociologia; B5 - Engenharias I.

Programa de Pós-graduação em Comunicação  | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705, sala 519 | CEP 90035-007 | Porto Alegre, RS, Brasil | Fone: (51) 3308 2141| E-mail: emquestao @ufrgs.br 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária do San Francisco Declaration on Research Assessment (DORA)