Virginia García del Pino: ideologia, classe e familia

Josetxo Cerdán

Resumo


Aborda a obra videográfica da cineasta Virginia García del Pino, entre 2002 e 2009, período de sua formação como cineasta. Sete anos nos quais a autora desloca-se entre a Espanha e o México para criar as bases de seu trabalho através de uma série de opções formais sobre imagens e sons que são herdeiros tanto das vanguardas artísticas quanto cinematográficas. Foram revisados, um por um, os cinco filmes produzidos nesse período e estabelecida uma cartografia das opções formais e éticas da realizadora, que se interroga nos filmes por questões de ideologia (em termos gramscianos), classe e família como instituições.

Palavras-chave


Virginia García del Pino. Documentário experimental. Cinema transnacional. Ideologia. Família.

Texto completo:

PDF




Em Questão | ISSN 1808-5245 | EQ no Facebook | EQ no Google Scholar

Classificação Qualis: A2 - Comunicação e Informação; B2 - Ciências Ambientais; B3 - Administração, Ciências Contábeis e Turismo; B4 - Sociologia; B5 - Engenharias I.

Programa de Pós-graduação em Comunicação  | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705, sala 519 | CEP 90035-007 | Porto Alegre, RS, Brasil | Fone: (51) 3308 2141| E-mail: emquestao @ufrgs.br 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária do San Francisco Declaration on Research Assessment (DORA)