As inovações nas telecomunicações e as novas identidades trabalhistas

Natalia Aruguete, Marisa Duarte

Resumo


Este trabalho se propõe a analisar as modificações na política trabalhista do setor de telecomunicações considerando a visão que os trabalhadores têm dela. Desta maneira, buscar-se-á contestar a quase nula ou distorcida cobertura midiática que mereceu a problemática da gestão da força de trabalho durante o processo de reestruturação que o setor atravessou. O estudo é baseado na informação estatística e nas entrevistas em profundidade feitas com os trabalhadores das companhias telefônicas que operam na Argentina. A vivência que acompanha os trabalhadores - despedidos ou não - é a de que a privatização implicou na desestabilização e fragmentação de um modo de vida estruturado a partir da identidade e da cultura do trabalho. Essa perda do sentido de uma ética onde o trabalho é sinônimo de realização pessoal foi vivida pelos trabalhadores como humilhação e falta de respeito em relação às suas trajetórias profissionais, uma desvalorização do seu saber, falta de reconhecimento pessoal e social do seu trabalho e uma persistência na incerteza sobre o futuro.


Palavras-chave


Telecomunicações. Privatização. Trabalhadores.

Texto completo:

PDF




Em Questão | ISSN 1808-5245 | EQ no Facebook | EQ no Google Scholar

Classificação Qualis: A2 - Comunicação e Informação; B2 - Ciências Ambientais; B3 - Administração, Ciências Contábeis e Turismo; B4 - Sociologia; B5 - Engenharias I.

Programa de Pós-graduação em Comunicação  | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705, sala 519 | CEP 90035-007 | Porto Alegre, RS, Brasil | Fone: (51) 3308 2141| E-mail: emquestao @ufrgs.br 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária do San Francisco Declaration on Research Assessment (DORA)