O discurso televisivo da memória: plim plim

Evelyn Orrico

Resumo


Resumo

A televisão, parte integrante e fundamental de um sistema de comunicação de massa, ao mesmo tempo em que é resultado, é também fonte do universo simbólico do público a que se dirige. Sua grade de programação respeita, assim como provoca, o imaginário social de seu público, a partir do contexto histórico-social em que se manifesta. À luz de autores contemporâneos, este artigo discute aspectos da grade de programação do maior conglomerado televisivo brasileiro, como fonte de informação, especialmente voltada às atrações relativas à memória, procurando apontar para a construção de novas redes de sentido, concebidas pelo e no discurso televisivo. Reflexão eminentemente teórica, este artigo discute o impacto que tal programação provoca na construção do universo simbólico do povo brasileiro e consequentemente da memória desse grupo social na contemporaneidade.

Palavras-chave


Discurso. Memória. Informação. Comunicação de massa. Televisão

Texto completo:

PDF




Em Questão | ISSN 1808-5245 | EQ no Facebook | EQ no Google Scholar

Classificação Qualis: A2 - Comunicação e Informação; B2 - Ciências Ambientais; B3 - Administração, Ciências Contábeis e Turismo; B4 - Sociologia; B5 - Engenharias I.

Programa de Pós-graduação em Comunicação  | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705, sala 519 | CEP 90035-007 | Porto Alegre, RS, Brasil | Fone: (51) 3308 2141| E-mail: emquestao @ufrgs.br 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária do San Francisco Declaration on Research Assessment (DORA)