O objeto museal em diferentes contextos e mídias

Autores

  • Renata Abrantes Baracho Universidade Federal de Minas Gerais
  • Cátia Rodrigues Barbosa Universidade Federal de Minas Gerais

Palavras-chave:

Museu virtual. Objeto museal. Memória. Comunicação. Informação.

Resumo

O objetivo deste artigo é estudar o papel do objeto museal e sua relação com a memória, o imaginário na construção da comunicação e apropriação da informação em diferentes contextos e mídias. Argumentamos que a construção da comunicação e apropriação da informação em diferentes contextos e mídias, no que tange o objeto museal requer a organização de estratégias comunicacionais capazes não só de gerenciar e disponibilizar a informação em diferentes suportes, mas, sobretudo, de estabelecer relações entre áreas do conhecimento vinculadas à realidade virtual, espaços virtuais, banco de dados, sistemas de informação, computação gráfica e processamento digital de imagens, no sentido de disponibilizar estratégias museográficas e recontextualizar o objeto museal.  Interessa-nos mostrar como, no âmbito da comunicação do objeto musealizado, o planejamento das estratégias de apropriação da informação no contexto da mídia web depende tanto do trabalho coordenado entre os profissionais de áreas da computação, quanto da habilidade dos profissionais da museologia em contornar diferenças, discordâncias sobre o papel do objeto museal e sua relação com a memória nos processos de criação cultural. De modo a revelar como as imagens dos espaços e dos objetos museais difundidas pelos museus virtuais, pelas redes sociais podem minimizar tais discordâncias conferindo crédito à comunicação do objeto museal em ambientes virtuais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renata Abrantes Baracho, Universidade Federal de Minas Gerais

Possui graduação em Ciência da Computação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (1989), graduação em Arquitetura E Urbanismo pela Universidade Federal de Minas Gerais (1990), mestrado em Ciências da Computação pela Universidade Federal de Minas Gerais (1994) e doutorado em Ciências da Informação pela Universidade Federal de Minas Gerais (2007) com PDEE na The Pennsylvania State University (2006). Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Ciência da Informação, Departamento de Teoria e Gestão da Informação. Tem experiência na área de Ciência da Informação, com ênfase em recuperação e representação da informação, atuando principalmente nos seguintes temas: gestão da informação, recuperação da informação, análise de sistemas de informação, "building information modeling/management, museu virtual, computação gráfica.

Cátia Rodrigues Barbosa, Universidade Federal de Minas Gerais

Possui Mestrado e doutorado em Museologia pela Escola de doutorado do Muséum dHistoire Naturelle de Paris (2005). Mestrado em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais (1999). Especialização no Ensino de Ciências-modalidade Física pela Universidade Federal de Minas Gerais. Graduação em Licenciatura Plena Matemática pelo Instituto Newton Paiva. Desde 1995 é membro do ICOM (Conselho Internacional de Museus- membro votante comitê CECA e membro comitê CIMUSET). Líder do grupo de pesquisa e estudos em Museologia-arte e estética na tecnologia, educação e ciência MUSAETEC-UFMG/ECI-CNPq. Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal de Minas Gerais- Escola de Ciência da Informação. Areas de interesse: museologia; museologia-estética, fenomenologia; museologia-educação e cultura; museologia:informação e inteligência; museu-escola; (comunicação-percepção-cognição-museus); memória-patrimônio.

Downloads

Publicado

2011-12-07

Como Citar

BARACHO, R. A.; BARBOSA, C. R. O objeto museal em diferentes contextos e mídias. Em Questão, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 195–208, 2011. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/22142. Acesso em: 19 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)