Redes sociais integradas e difusão de informações: compreendendo a circulação da informação em social games

Autores

  • Rebeca Recuero Rebs Unisinos
  • Gabriela da Silva Zago UFRGS

Palavras-chave:

Redes sociais. Difusão de informações. Social games. Redes sociais integradas.

Resumo

O trabalho busca apresentar uma reflexão de como a rede social dos social games é constituída a partir de uma discussão referente aos mecanismos de difusão de informações do jogo. Para isso, realizou-se uma observação participante e a aplicação de um questionário respondido por jogadores de social games do Facebook visando entender como as informações sobre o jogo são disseminadas no próprio jogo e na rede social que dá suporte ao social game. Ao observar esses fluxos de informações, percebemos que há uma rede social integrada (do jogo) à uma rede social maior (no caso, do site do Facebook). Em ambas as redes verificamos certas afetações com a dinâmica peculiar de cada uma. Além de constatar que a rede do jogo acaba se beneficiando do acesso fácil a ferramentas de interação, na medida em que os jogadores podem usar a rede principal para obter benefícios para a rede integrada, observamos que o mecanismo de difusão de informações dos social games parece configurar novos valores também na própria rede maior do Facebook.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rebeca Recuero Rebs, Unisinos

* Doutoranda em Ciências da Comunicação pela Unisinos;

* Mestre em Ciências da Comunicação pela Unisinos;

* Graduada em Comunicação Social - habilitação em Jornalismo - pela UCPel;

* Bolsista CAPES.

Gabriela da Silva Zago, UFRGS

* Doutoranda em Comunicação e Informação pela UFRGS;

* Mestre em Comunicação e Informação pela UFRGS;

* Graduada em Comunicação Social - habilitação em Jornalismo - pela UCPel;

* Bolsista CAPES.

Downloads

Publicado

2011-12-07

Como Citar

RECUERO REBS, R.; ZAGO, G. da S. Redes sociais integradas e difusão de informações: compreendendo a circulação da informação em social games. Em Questão, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 179–193, 2011. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/21910. Acesso em: 19 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos