Comunicação, tecnologia e interatividade: as consultas públicas no Programa de Governo Eletrônico Brasileiro

Henrianne Barbosa, Maria Cristina Piumbato Innocentini Hayashi, Camila Carneiro Dias Rigolin

Resumo


A demanda por transparência na esfera pública com ênfase em mecanismos de gestão compartilhada é proveniente de atores locais e internacionais, inseridos em processos de consolidação da democracia. No Brasil, a Constituição de 1988 e leis subsequentes determinam que o Estado preste informações aos cidadãos e favoreça a sua participação em questões públicas. A implementação de conquistas legais assumiu novas dimensões com as possibilidades oferecidas pela tecnologia digital, desencadeando a demanda por conhecimento de ferramentas de publicização e interação no âmbito da Comunicação Pública Digital. Esta pesquisa consiste em reflexões sobre os artefatos digitais para fins democráticos, a partir do conceito latouriano de translação tendo em vista o ideal de interatividade em consultas públicas online (CPOs) do Governo Eletrônico (E-GOV). Foram constatados importantes mecanismos de interatividade que, no entanto, ainda se demonstram insuficientes para garantir o direito à inclusão e participação em esferas decisórias destinadas à formulação de políticas públicas.

Palavras-chave


Comunicação Pública Digital. Interatividade. Consultas públicas online.

Texto completo:

PDF




Em Questão | ISSN 1808-5245 | EQ no Facebook | EQ no Google Scholar

Classificação Qualis: A2 - Comunicação e Informação; B2 - Ciências Ambientais; B3 - Administração, Ciências Contábeis e Turismo; B4 - Sociologia; B5 - Engenharias I.

Programa de Pós-graduação em Comunicação  | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705, sala 519 | CEP 90035-007 | Porto Alegre, RS, Brasil | Fone: (51) 3308 2141| E-mail: emquestao @ufrgs.br 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária do San Francisco Declaration on Research Assessment (DORA)