O Imaginário de Porto Alegre por seus cartões-postais

Rudimar Baldissera, Sandra M. L. P. Gonçalves, Enoí Dagô Liedke

Resumo


Apresenta-se a análise de 61 cartões-postais sobre Porto Alegre/RS com o objetivo de revelar o imaginário da cidade por eles/neles atualizado como fala autorizada. Segundo o imaginário dos/nos postais, Porto Alegre é uma cidade agigantada em imagens de prédios emaranhados e, ao mesmo tempo, vazia, estática, tolhida de relações sociais. Nela a experimentação parece ser negada. A cidade dos postais é diurna, não tem movimento, tem cores frias e está justaposta ao rio, mas pouco dialoga com ele. Arquitetonicamente (elementos arquitetônicos são o principal foco das imagens), a Porto Alegre dos postais é a da região central onde se encontra a maior concentração de prédios reconhecidos como patrimônio. Nos postais – que também são registro, memória – o imaginário e a cultura gauchesca acionados são pouco expressivos.

 


Palavras-chave


Comunicação; imaginário; cartão-postal; Porto Alegre, RS

Texto completo:

PDF




Em Questão | ISSN 1808-5245 | EQ no Facebook | EQ no Google Scholar

Classificação Qualis: A2 - Comunicação e Informação; B2 - Ciências Ambientais; B3 - Administração, Ciências Contábeis e Turismo; B4 - Sociologia; B5 - Engenharias I.

Programa de Pós-graduação em Comunicação  | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705, sala 519 | CEP 90035-007 | Porto Alegre, RS, Brasil | Fone: (51) 3308 2141| E-mail: emquestao @ufrgs.br 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária do San Francisco Declaration on Research Assessment (DORA)