A Crise de paradigmas e a ressignificação do conhecimento para o século XXI

Ana Maria Dalla Zen

Resumo


O artigo discute a produção do conhecimento no século XXI, a partir da crise entre o paradigma clássico e o emergente. Destaca a incompetência da ciência para a solução dos principais problemas decorrentes do avanço científico, em especial o fenômeno da exclusão social. Analisa o princípio da complexidade e a sua relação com a construção de uma nova ética para o futuro. Mostra a incapacidade da disciplinaridade para dar conta dos problemas decorrentes do avanço científico deste século. Enfatiza a interdisciplinaridade para um primeiro passo na solução dos mesmos e, como transposição paradigmática, valoriza o princípio da transdisciplinaridade. Propõe os conceitos de permacultura, desenvolvimento sustentável, biologia do conhecimento e ecologia social como ferramentas para concretizar a interdisciplinaridade na produção do conhecimento. Conclui que a expansão de formas de democracia participativa é uma alternativa de gestão pública útil para equacionar o problema da exclusão social. E que se trata de um mecanismo de participação popular que permite às comunidades atuarem no controle público do Estado e do governo, e podem criar novas perspectivas de vida pública. PALAVRAS-CHAVE: Paradigma emergente. Transdisciplinaridade. Comunicação científica.

Palavras-chave


Transdisciplinaridade. Comunicação científica

Texto completo:

PDF




Em Questão | ISSN 1808-5245 | EQ no Facebook | EQ no Google Scholar

Classificação Qualis: A2 - Comunicação e Informação; B2 - Ciências Ambientais; B3 - Administração, Ciências Contábeis e Turismo; B4 - Sociologia; B5 - Engenharias I.

Programa de Pós-graduação em Comunicação  | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705, sala 519 | CEP 90035-007 | Porto Alegre, RS, Brasil | Fone: (51) 3308 2141| E-mail: emquestao @ufrgs.br 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária do San Francisco Declaration on Research Assessment (DORA)