Reconfiguração do mercado editorial brasileiro de livros didáticos no início do século XXI: história das principais editoras e suas práticas comerciais

Célia Cristina de Figueiredo Cassiano

Resumo


O texto tem como eixo temático a circulação do livro didático na história recente do Brasil, que vem sendo objeto de minhas pesquisas há alguns anos. A hipótese é que as políticas públicas para o livro didático e as editoras privadas deixam marcas na seleção do livro que é feita nas escolas, levando para este processo determinantes de mercado, que precedem a escolha do professor e implicam a construção do currículo em ação nas escolas. Constitui-se, então, num campo de estudo privilegiado para se entender a relação escola e mercado. Por conta disso, no decorrer de minhas pesquisas, três instâncias fundamentais foram estudadas: as editoras de didáticos, com ênfase na sua área comercial; as ações governamentais, com foco no Programa Nacional do Livro Didático – PNDL – e a escola. Neste artigo, porém, enfatizamos apenas o mercado das grandes editoras de didáticos, traçando um panorama histórico deste setor, assim como apresentamos boa parte de suas práticas comerciais e a reconfiguração deste mercado, com a entrada das grandes multinacionais no Brasil, suas novas estratégias e o que isto implica para as escolas brasileiras.

 


Palavras-chave


Mercado editorial; livro didático; políticas públicas; educação

Texto completo:

PDF




Em Questão | ISSN 1808-5245 | EQ no Facebook | EQ no Google Scholar

Classificação Qualis: A2 - Comunicação e Informação; B2 - Ciências Ambientais; B3 - Administração, Ciências Contábeis e Turismo; B4 - Sociologia; B5 - Engenharias I.

Programa de Pós-graduação em Comunicação  | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705, sala 519 | CEP 90035-007 | Porto Alegre, RS, Brasil | Fone: (51) 3308 2141| E-mail: emquestao @ufrgs.br 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária do San Francisco Declaration on Research Assessment (DORA)