Patrimônio do efêmero: algumas reflexões para a construção de um patrimônio das artes cênicas no Brasil

Marcelo Dias de Carvalho, Maria Christina Barbosa de Almeida

Resumo


A constituição de um acervo patrimonial das artes cênicas requer ações e metodologias específicas, que levem em conta, sobretudo, o fato de suas manifestações serem efêmeras e, em conseqüência disso, não permitirem qualquer forma de retenção integral ou essencial do espetáculo para efeito de preservação. Desse modo, o que resta das artes cênicas para a posteridade são os seus vestígios, concretizados por documentos e objetos produzidos para e a partir do espetáculo. Esses vestígios permitem aproximações ao que foi o espetáculo cênico, mas não podem pretender alcançar a reconstituição integral do mesmo. O espetáculo cênico é, por natureza, irreconstituível. Este deve ser o ponto de partida para qualquer ação de documentação voltada para a formação de um patrimônio das artes cênicas. Diante da complexidade da questão e das limitações que, inevitavelmente, se apresentam no desenvolvimento de coleções de artes cênicas, propõe-se uma reflexão sobre a atuação das organizações patrimonialistas (museus, arquivos, centros de documentação e bibliotecas) e sobre a necessidade de se desenvolverem políticas e ações voltadas à produção, seleção, tratamento, organização e disseminação de documentos que, integradas, possibilitem aproximações com espetáculos cênicos do passado e ressignificações.

 


Palavras-chave


Documentação teatral; coleções de artes cênicas

Texto completo:

PDF




Em Questão | ISSN 1808-5245 | EQ no Facebook | EQ no Google Scholar

Classificação Qualis: A2 - Comunicação e Informação; B2 - Ciências Ambientais; B3 - Administração, Ciências Contábeis e Turismo; B4 - Sociologia; B5 - Engenharias I.

Programa de Pós-graduação em Comunicação  | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705, sala 519 | CEP 90035-007 | Porto Alegre, RS, Brasil | Fone: (51) 3308 2141| E-mail: emquestao @ufrgs.br 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária do San Francisco Declaration on Research Assessment (DORA)