Novas fronteiras na Diplomacia Científica - contornando as mudanças de equilíbrio de poder

The Royal Society

Resumo


Na atualidade, a complexidade de problemas globais, como as pandemias e a recessão econômica, a ascensão extremismos políticos e religiosos das mais variadas ordens, como os movimentos antivacinas e as “ondas” de “fake news” na criação de falsos “mitos” e no espraiamento de mentiras, e a difusão de correntes pseudocientíficas, como o “terraplanismo”, negam a validade do conhecimento científico e, por conseguinte, ameaçam o futuro da humanidade. Neste contexto obscuro, grande parte da sociedade, como reação a esses movimentos, defende o aumento do papel da ciência na vida política da sociedade e nas decisões de políticas públicas nacionais e internacionais. Com isso, a ideia de “science diplomacy” ganhou força nos fóruns acadêmicos e políticos.Assim, o presente texto é uma tradução do artigo “New frontiers in science diplomacy Navigating the changing balance of power” da Royal Society e da American Association for the Advancement of Science (AAAS). Este é um dos textos fundantes da “diplomacia científica” no mundo, pois trabalha conceitos-chave, como “ciência na diplomacia”, “diplomacia para a ciência”, “ciência para diplomacia”. Ademais, faz alguns estudos de caso sobre a importância da diplomacia científica.


Palavras-chave


Ciência; Diplomacia científica; Science Diplomacy;

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2178-8839.99476

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

 

Conjuntura Austral - ISSN: 2178-8839

       UFRGS