Controle civil e os limites da política de defesa da Argentina (1983-2001)

Matheus de Oliveira Pereira

Resumo


O artigo apresenta uma análise do processo de retomada da autoridade civil sobre os assuntos de defesa na Argentina, ao longo dos três primeiros governos após a transição do regime autoritário. Trata-se de um período marcado pela cristalização de um padrão de relações civil-militares cujo esteio é a subordinação dos militares ao poder civil. Argumenta-se que a construção desta subordinação foi o principal objetivo dos governos constitucionais, que prescindiram de uma atuação propositiva sobre os assuntos de Defesa para além do controle sobre os militares. A análise aqui apresentada parte de fontes documentais e hemerográficas, articuladas à literatura especializada sobre o tema.


Palavras-chave


Argentina; Controle Civil; Política de Defesa; Relações Civil-Militares

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2178-8839.94272

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribution-ShareAlike 4.0 International License.

 

Conjuntura Austral - ISSN: 2178-8839

       UFRGS