A Unasul, o Conselho de Defesa Sul-Americano e a prevenção de conflitos na América do Sul

Pedro Diniz Rocha

Resumo


Apesar da ideia de prevenção de conflitos ter sido introduzida pela primeira vez ainda na década de 1960 pelo então Secretário Geral da ONU Dag Hammarksjöld, é somente com a emergência das novas guerras ao fim da Guerra Fria que o conceito passa a ser elaborado e operacionalizado de forma mais contundente. Tendo como plano de fundo o fracasso das intervenções humanitárias na Somália (1993) e Ruanda (1994), partiu-se do princípio de que os custos humanos e financeiros da ação internacional em conflitos em estágio avançado eram superiores aos custos políticos e econômicos da ação preventiva. Seria mister, então, cercear os conflitos antes de sua escalada, conter o uso da violência ao promover mecanismos de resolução de conflitos em estágio inicial de contenda. Dito isto, o objetivo deste artigo é o de levantar e analisar os mecanismos de prevenção de conflitos desenvolvidos e colocados em prática pela Unasul e seu Conselho de Defesa Sul Americano (CDS) desde 2008 até 2017, de forma a compreender a contribuição da organização para a prevenção de conflitos na América do Sul. Em vista a realizá-lo será operacionalizado o que se entende por diplomacia preventiva e empreendida pesquisa documental das decisões, declarações, resoluções, disposições e comunicados da Unasul de 2008 a 2017

 


Palavras-chave


Prevenção de Conflitos; América do Sul; Unasul; CDS

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2178-8839.83100

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribution-ShareAlike 4.0 International License.

 

Conjuntura Austral - ISSN: 2178-8839

       UFRGS