Relações Moçambique-Brasil: o pragmatismo na abordagem às economias emergentes

Vasco Alberto Chemane

Resumo


O objecto do artigo são as relações entre os Estados, no cenário internacional actual, em que a prevalência dos paradigmas neo-realista e neoliberal, tem determinado que a agenda hard seja preterida em benefício da agenda soft, à qual se atrelam as temáticas social e económica, assumindo então, a política externa, um papel de relevo no escrutínio dos parceiros, dos objectivos a atingir ou dos problemas a resolver, num encadeamento em que, no caso dos países em desenvolvimento vis-à-vis os países desenvolvidos, o desiderato de médio e longo prazo, é a redução da interdependência assimétrica, a caminho da dependência mútua ou benefícios mútuos dos grupos internos envolvidos no processo de tomada de decisão, e constatando que há disparidade nos benefícios, os mesmos grupos promovem a mudança da política externa, via mudança de regime ou mudança da direcção política até então seguida, operando através de agentes, ou a nível de processos e estágios, conceitos à volta dos quais o artigo se desenvolve em dois momentos, sendo o primeiro o de arrolamento de correntes de pensamento sobre “Política Externa” e o segundo o da “Análise da Política Externa”, ambos seguidos do estudo de caso, conforme o título.


Palavras-chave


Paradigma de política externa, política externa, análise da política externa, mudança da política externa.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2178-8839.81562



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

 

Conjuntura Austral - ISSN: 2178-8839

       UFRGS