A V Cúpula do BRICS (Durban, 2013): coalizão ou arranjo cooperativo?

Leonardo Ramos, Pedro Henrique Schneider Parreiras

Resumo


O artigo busca apresentar algumas das principais questões tratadas na V Cúpula do BRICS e analisar, a partir daí, seus impactos no processo de institucionalização do BRICS. A hipótese é que a Cúpula de Durban indica que o grupo caminha rumo a um novo patamar de cooperação e institucionalização, sendo o banco de desenvolvimento do BRICS e o fundo comum de reserva elementos que apontariam nesta direção – sendo necessário também levar em consideração os limites de tais iniciativas.

A V Cúpula do BRICS (Durban, 2013): coalizão ou arranjo cooperativo?


Palavras-chave


BRICS, Institucionalização, Cooperação, Banco de desenvolvimento

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2178-8839.41697



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

 

Conjuntura Austral - ISSN: 2178-8839

       UFRGS