DISCLOSURE DE INSTRUMENTOS FINANCEIROS E RISCO: EVIDÊNCIAS NAS SOCIEDADES POR AÇÃO DE CAPITAL ABERTO MAIS NEGOCIADAS NA BM&FBOVESPA

Autores

  • Gledstone Alves Pinho Secretaria de Segurança Pública do Estado do Ceará.
  • Paulo Henrique Nobre Parente Universidade Estadual do Ceará.
  • Antônio Carlos Coelho Universidade Federal do Ceará.

Palavras-chave:

Risco, Evidenciação, Instrumentos financeiros

Resumo

O objetivo do estudo é analisar a relação entre o nível de disclosure obrigatório de riscos decorrentes de instrumentos financeiros e a medida de risco das empresas brasileiras, sob a hipótese de que, quanto maior o disclosure, menor a percepção de risco adviria dos investidores. A amostra foi composta pelas sociedades por ação de capital aberto de maior liquidez na BM&FBovespa, limitadas às 42 que divulgaram informações suficientes para a pesquisa. Mensurou-se o nível de disclosure por índice baseado nas exigências contidas na Deliberação CVM nº 684/12. Já a percepção de risco foi mensurada por estimativas de Grau de Alavancagem Financeira, Value-at-Risk e Índice de Sharpe. O índice de atendimento ao disclosure obrigatório foi atendido, na média, em 61%, apesar de sua obrigatoriedade. Também constatou-se que informações qualitativas exibiram maior frequência de divulgação do que informações com avaliações quantitativas recomendadas. Utilizando-se de regressão linear múltipla, com estimação por MQO, rejeitou-se a hipótese formulada, destacando-se maior impacto em índices de empresas com alto teor de utilização de derivativos e de instrumentos financeiros. O estudo contribui na explicação da divulgação de instrumentos financeiros em face do risco das empresas, fornecendo evidência informacional para reguladores e investidores sobre o baixo atendimento de disclosure obrigatório, alertando para que se possa rever a utilidade da informação contábil compulsória.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gledstone Alves Pinho, Secretaria de Segurança Pública do Estado do Ceará.

Bacharel em Ciências Contábeis pela Universidade Federal do Ceará. Soldado da Policia Militar do Estado do Ceará.

Paulo Henrique Nobre Parente, Universidade Estadual do Ceará.

Mestre em Administração e Controladoria pela Universidade Federal do Ceará. Professor Substituto do Curso de Ciências Contábeis da Universidade Estadual do Ceará.

Antônio Carlos Coelho, Universidade Federal do Ceará.

Pós-Doutor em Contabilidade e Controladoria pela Universidade de São Paulo. Professor Associado da Universidade Federal do Ceará/Programa de Pós-Graduação em Administração e Contabilidade.

Downloads

Publicado

2017-03-04

Como Citar

PINHO, G. A.; PARENTE, P. H. N.; COELHO, A. C. DISCLOSURE DE INSTRUMENTOS FINANCEIROS E RISCO: EVIDÊNCIAS NAS SOCIEDADES POR AÇÃO DE CAPITAL ABERTO MAIS NEGOCIADAS NA BM&FBOVESPA. ConTexto - Contabilidade em Texto, Porto Alegre, v. 16, n. 33, p. 58–73, 2017. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/ConTexto/article/view/56823. Acesso em: 30 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos