Reflexões sobre o transe ritualístico no candomblé

Mario Pires de Moraes Junior, Alexandre Costa

Resumen


A manifestação corpórea de energias, ou espíritos, embora seja de ordem fenomenológica, constitui um importante viés de investigação no que tange a organização social de determinados grupos religiosos. Este trabalho tece algumas observações sobre o transe mediúnico no Candomblé de Ketu com base nas considerações de Roger Bastide, Reginaldo Prandi e na observação empírica. Seus dados provêm também de pesquisa etnográfica em terreiros de Candomblé de Goiânia e Região Metropolitana coordenado pelo Centro Integrado de Estudos África-Américas (CieeA – UEG) e Núcleo de Estudos Críticos e Aplicados ao Discurso Religioso (NOUS – UFG). A perspectiva transdiciplinar deste estudo pretende compreender nosso objeto não apenas com sua descrição, mas a partir de sua construção discursiva: ele é o que se diz sobre ele. Para tanto, articulamos com a leitura clássica dos estudos africanistas alguns conceitos de Foucault e Bakhtin, tomando os documentos antropológicos e as falas coletadas como um conjunto de enunciados que se relacionam entre si, na rede de seus sujeitos e campos de saber.

Palabras clave


transe mediúnico; Candomblé; discurso religioso; dança ritual

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-2650.41149