Referentes identificatórios e jogos identitários no candomblé

Mônica de Oliveira Nunes

Resumen


Nesse artigo, evidenciamos um conjunto de “referentes identificatórios” presentes no idioma do Candomblé e apresentamos uma discussão sobre as formas pelas quais as pessoas utilizam esses elementos para construir suas identidades de forma progressiva e flexível. Para tanto, retomamos alguns pontos de análise acerca da construção da pessoa no Candomblé a partir de autores clássicos, destacando o que dados etnográficos produzidos na cidade de Cachoeira, Bahia, apontam de inovador em relação aos mesmos. Apresentamos uma primeira polêmica entre unicidade e multiplicidade do eu no Candomblé, inserindo-a em uma discussão filosófica acerca de como várias culturas produzem diferentes metáforas para darem conta de uma provavelmente universal “ilusão de totalidade”. Em seguida, identificamos
mecanismos de individuação no interior de uma sociedade predominantemente sócio-cêntrica. Finalmente, apresentamos novos significantes religiosos que não são habitualmente explorados em análises acerca de jogos identitários no Candomblé, enfatizando importância da subjetividade dos adeptos na construção
desses jogos.

Palabras clave


jogos identitários; Candomblé; construção de pessoa; subjetividade; identity games; Candomblé; construction of the person; subjectivity

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-2650.2513