As duas transições futuras: católicos, protestantes e sociedade na América Latina

Paul Freston

Resumen


Como resultado cumulativo das mudanças no quadro religioso da América Latina nas últimas décadas, o artigo prevê aproximação de duas grandes transições, uma católica e a outra protestante, nas quais as relações entre religião, estado e sociedade serão amplamente modificadas. A transição católica (que talvez não ocorra em todos os países da região) se refere ao tipping point em que os antigos papéis sócio-políticos se tornam insustentáveis. O pluralismo multidimensional, a queda numérica, a relativa debilidade institucional e os efeitos da democracia e da fragmentação da sociedade civil, levarão à perda do status de ‘igreja’. Em alguns países, um momento simbolicamente importante será quando a porcentagem da população que se declara católica caia para menos da metade. Contudo, além da transição católica, haverá também a transição protestante, a qual se refere ao fato de que haverá um teto no crescimento protestante e nas suas aspirações políticas. Quando acontecer essa estabilização, mudará radicalmente a natureza do protestantismo latino-americano e sua relação com a sociedade, com a política e com as outras religiões. O artigo também reivindica um lugar mais proeminente para América Latina nos debates globais sobre religião e modernidade, por representar um padrão historicamente novo de evolução da antiga cristandade.

Palabras clave


catolicismo, protestantismo, pentecostalismo, pluralismo, relação religião-política

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-2650.16860