Ciência e religião: os debates em torno das pesquisas com células-tronco embrionárias no Brasil

Cesar Alberto Ranquetat Júnior

Resumen


Neste artigo, exponho e analiso os debates em torno das pesquisas com células-tronco embrionárias no Brasil. Para tanto, me baseio, fundamentalmente, em fontes textuais coletadas em jornais e na internet, e no mais recente documento publicado pela Igreja Católica sobre as novas tecnologias reprodutivas a Instrução Dignitas Personae. De maneira geral, duas questões emergiram nessa controvérsia: a primeira refere-se ao estatuto do embrião e a outra ao embate entre a visão científica e a concepção religiosa de mundo. Procuro descrever esse embate com o auxílio teórico e conceitual da antropologia simétrica proposta por Latour e, a partir da reflexão sociológica e antropológica acerca do lugar da religião na modernidade, o que conduz necessariamente à exploração do tema da secularização e do secularismo. Sendo assim, enfatizo a intervenção de atores e valores religiosos nesta questão, e por sua vez, a luta de atores laicistas pela afirmação da autonomia do campo científico.

Palabras clave


Ciência; Religião; Células-tronco embrionárias; Igreja Católica; Secularismo

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-2650.15491