Contar Histórias: corpos/corpus em performance.

Shirlei Milene Torres

Resumo


O corpo e a voz propiciam vivências comunitárias perdidas na aceleração da vida moderna. A contação de histórias em performance permite a interação entre contador e ouvintes, já que contar histórias é arte performática, é criação do efêmero. Quando todos os envolvidos na contação de histórias deixam sua imaginação ser levada pelas histórias, o ato performático se consolida. A performance aspira à qualidade de rito, pois transporta para outro lugar e para outro tempo. No momento em que se consegue atingir a plateia acontece uma experiência, sendo através do corpo que vivemos a experiência da performance. São utilizados vários teóricos para embasar as análises realizadas no decorrer deste trabalho, especialmente, Paul Zumthor (1997; 2000) para falar sobre performance, e Maria de Lourdes Patrini (2005) para falar sobre o ofício do contador de histórias.

Palavras-chave


Contar histórias; Performance; Oralidade; Corpo, gesto e voz;

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2595-4377.9567