EDUCAÇÃO BÁSICA: O NECESSÁRIO RESGATE DE SUA IDENTIDAde

Maria Luisa Xavier

Resumo


EDUCAÇÃO BÁSICA: O NECESSÁRIO RESGATE DE SUA IDENTIDADE
O trabalho trata de implicações das Políticas de Inclusão no cotidiano escolar. Políticas que levaram à escola alunos mais velhos, multirepetentes, oriundos de classes especiais, da antiga FEBEM, meninos de rua, alunos pobres na sua maioria. Destaca as particularidades dessa população e as dificuldades que instituições vêm sentindo para atendê-la. Tal população está exigindo da escola revisão de seus objetivos e funções. Está exigindo que processos culturais, referidos por Elias a partir de Freud, de humanização, de civilização, lhes sejam proporcionados antes de se ocuparem dos saberes escolares - processos que lhes foram negados por suas famílias e pelo estado. Saberes escolares, invenções modernas, que precisam ser revistos para adequá-los a alunos que irão viver quando adultos em um mundo diferente daquele de seus pais e professores. Refiro-me às crianças des realizadas e às hiper realizadas de Narodowski, aos jovens alienígenas de Green e Bigun, assim como à geração.@, os jovens dos chats, do orkut, da internet. Questões como: que saberes, que conhecimentos, que habilidades, precisam alunos, ao final do Ensino Fundamental, do Ensino Médio - para serem bem informados, bem formados, competentes, sociais, felizes – deveriam nortear a re organização curricular das escolas, para que tais instituições passem a ter significado para estudantes, portadores de diferentes culturas, com diferentes anseios e necessidades. Os anos finais do Ensino Fundamental e o Ensino Médio, prioritariamente, precisam definir sua identidade, deixando de ser apenas uma preparação para o vestibular, para o Ensino Superior. As crianças e os jovens precisam encontrar na escola respostas para sua vida presente, para preocupações próprias de suas culturas que vêm sendo negadas pela escola. Instituição que precisa assumir que acessar, relacionar e interpretar informações deverá suplantar a preocupação de acumular saberes - em face da impossibilidade de abarcar a totalidade de conhecimentos disponíveis no atual momento histórico. E, ainda, precisam hoje ser assumidas pela instituição, aonde as novas gerações vêm passando numerosos anos de sua infância, adolescência e juventude, funções até minimizadas. Refiro-me ao papel a ser assumidos pelos professores tanto do Ensino Fundamental como do Médio, de condutores, de especialistas em adolescentes e jovens, assim como os professores de crianças são, ou deveriam ser, especialistas em infância. Para tal é preciso que os Cursos de Licenciatura levem em conta tais exigências na formação dos novos professores e que processos de formação continuada se ocupem de tais dimensões.

Palavras-chaves: inclusão – humanização - conhecimento escolar

Palavras-chave


inclusão – humanização - conhecimento escolar

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2595-4377.5124