A escrita digital em scraps e a escrita de bilhetes em sala de aula: um estudo sobre transmutação de gênero textual

Verena Santos Abreu

Resumo


Com base na Linguística Textual e na concepção de gêneros discursivos de Bakhtin ([1979] 2003), bem como nos estudos sobre Hipertexto e gêneros digitais, nesse trabalho aparece como tema a escrita digital e sua influência na grafia de jovens em ambiente escolar, sobretudo na produção de bilhetes, fora do ciberespaço. Os corpora investigados são scraps extraídos do Orkut e bilhetes produzidos durante a aula de Língua Portuguesa/Redação, por estudantes do Ensino Fundamental II. O objetivo principal é analisar a recorrência de realizações de escrita que sugerem uma proximidade à linguagem digital, e a migração da escrita digital para um suporte diferente da tela do computador. Os resultados apontam para a possível transmutação da transmutação, uma vez que a escrita de um gênero transmutado (scraps) parece migrar para o gênero anterior (bilhetes), com vários registros similares à escrita digital.


Palavras-chave


Educação Básica

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2595-4377.26566