Troca de saberes e fazeres indígenas e quilombolas no colégio de aplicação João XXIII: educação para a democracia por meio da interculturalidade crítica da educação física escolar

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22456/2595-4377.104101

Resumo

Ao dialogar com os formandos do Ensino Médio do Colégio de Aplicação João XXIII sobre a resistência a determinados temas, surgiu o desejo de analisar como se elencavam os conteúdos na Educação Física nesta escola. Este trabalho pretende divulgar os processos de desenvolvimento de aulas sobre danças tradicionais, embasadas no direito ao conhecimento da diversidade cultural brasileira, que culminou na organização do evento “Troca de saberes e fazeres indígenas e quilombolas”. Por meio de um estudo etnográfico com noventa formandos e dois professores, analisou-se o diário de campo de cinco estagiários pela linha interpretativa da Antropologia Social. Concluiu-se que, a partir da interculturalidade crítica, professores e alunos foram motivados a repensar todo o funcionamento do ensino voltado para princípios democráticos, e, com isso, realizar um evento para todas as comunidades envolvidas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cátia Pereira Duarte, Colégio de Aplicação João XXIII da Universidade Federal de Juiz de Fora

Graduada em Licenciatura Plena em Educação Física pela Universidade Federal de Pelotas (2000), mestre (2003) e doutora em Educação Física (2010) pela Universidade Gama Filho, estágio pós-doutoral em Saberes docentes na formação inicial (2014) pela Universidade Federal Fluminense, qualificação profissional em Danças Tradicionais (2019) pela parceria entre o Grupo de Pesquisa Práticas Escolares e Educação Física da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora com grupos de pesquisa de antropologia, memória e território da Universidade de Lisboa, Universidade de Coimbra, Universidade do Porto e Universidade de Braga. Atualmente, atua como professora do Ensino Fundamental e Médio do Colégio de Aplicação João XXIII da Universidade Federal de Juiz de Fora/ UFJF. Além das aulas regulares orienta estagiários de prática de ensino e treinamento profissional, oriundos da UFJF; orienta pesquisas na especialização do curso de Especialização em Educação Básica do Colégio de Aplicação do João XXIII, orienta projetos de Iniciação Científica para alunos do Ensino Médio do Colégio de Aplicação e de escolas estaduais; desenvolve projeto de extensão Danças tradicionais na formação continuada dos professores de Juiz de Fora e projeto de extensão Implantação de escola quilombola na Colônia do Paiol; é vice-líder do grupo de estudo e pesquisa Práticas Escolares e Educação Física. Atua nas linhas: saberes curriculares; danças tradicionais; formação inicial e continuada.

Laura Melo Soares, Universidade Federal de Juiz de Fora

Bolsista do projeto de extensão “Oficinas de danças tradicionais na escola: formação de professores para discussão da diversidade e identidade sociocultural brasileira” e graduanda do curso de Serviço Social pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).

Miraldina Alice Santos, Azusa Pacific University

Mestranda em Educação Física na Azusa Pacific University e graduada em Educação Física pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).

Downloads

Publicado

2020-12-30