CICLOS ECONÔMICOS E CRIMES CONTRA O PATRIMÔNIO: UMA ANÁLISE QUASE-EXPERIMENTAL

Cristiano Aguiar de Oliveira, Iuri Capa Verde Costa

Resumo


Este artigo busca evidências das relações entre ciclos econômicos e crimes
contra o patrimônio a partir de um quase experimento gerado pela implantação do
Polo Naval no município brasileiro de Rio Grande (RS) a partir do ano de 2006. Para
esse fim, utilizam-se modelos estruturais de séries de tempo estimados através do Filtro
de Kalman para decompor e identificar quebras estruturais nas séries de furtos e roubos
registrados mensalmente no município, no período compreendido entre janeiro de
2002 e dezembro de 2015. Os resultados indicam a existência de quebras estruturais
tanto em furtos, quanto em roubos, que podem estar associadas às mudanças
geradas na economia em decorrência da implementação do Polo Naval. O artigo traz
evidências de que o início da construção da plataforma P-53 coincide com a redução
de forma permanente de 80 furtos mensais e que a construção da plataforma P-55
coincide com a redução permanente de 62 roubos mensais registrados no município.
O artigo conclui que existem evidências de um efeito motivação em que a melhora
nas condições econômicas do município foi capaz de gerar efeitos dissuasórios que
reduziram os crimes contra o patrimônio.


Palavras-chave


Polo Naval; Crime; Quase experimento; Quebras Estruturais

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2176-5456.74222

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 
.........................................................................................................................................................................................................................

Indexadores


 PROPESQ  PROPESQ PROPESQ   PROPESQ      PERIÓDICOS UFRGS


 
.........................................................................................................................................................................................................................

Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Faculdade de Ciências Econômicas
Revista Análise Econômica
ISSN 0102-9924 / e-ISSN 2176-5456