O COMÉRCİO INTRAINDUSTRIAL ENTRE BRASIL E OS PAÍSES DA OCDE: DECOMPOSIÇÃO E ANÁLISE DE SEUS DETERMINANTES

Alex Sander Souza do Carmo, Maurício Vaz Lobo Bittencourt

Resumo


O objetivo principal do presente trabalho é analisar o comércio intraindustrial (CII) entre o Brasil e os países da OCDE, no período compreendido de 2000 a 2009. Especificamente, pretende-se decompor o comércio intraindustrial (CII) bilateral e analisar os seus determinantes. Os principais resultados encontrados foram: os Estados Unidos e o México são os países da OCDE que possuem o maior volume e índice de comércio intraindustrial (CII) com o Brasil, respectivamente. Ademais, verificou-se que, em todas as relações bilaterais, o comércio intraindustrial vertical (CIIV) é superior ao comércio intraindustrial horizontal (CIIH), em que os produtos exportados pelo Brasil possuem qualidade inferior à dos produtos importados. Após a decomposição do comércio intraindustrial (CII), partimos para a análise empírica dos seus determinantes. Conforme o resultado obtido a partir do método de efeitos aleatórios, verificou-se que, a 10% de significância, a diferença na dotação de fatores (em termos da razão capital/trabalho) tem um impacto positivo sobre o comércio intraindustrial vertical bilateral, corroborando a hipótese central do modelo de Falvey e Kierzkowski (1987).


Palavras-chave


Comércio intraindustrial; Diferenciação de produtos; Painel de dados

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2176-5456.30661



 
.........................................................................................................................................................................................................................

Indexadores


 PROPESQ  PROPESQ PROPESQ   PROPESQ      PERIÓDICOS UFRGS


 
.........................................................................................................................................................................................................................

Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Faculdade de Ciências Econômicas
Revista Análise Econômica
ISSN 0102-9924 / e-ISSN 2176-5456