DÍVIDA PÚBLICA, BANCOS E TRANSMISSÃO DA POLÍTICA MONETÁRIA: UMA AVALIAÇÃO EMPÍRICA DO REGIME DE METAS DE INFLAÇÃO NO BRASIL

Marcos Wagner da Fonseca, Marcelo Luiz Curado

Resumo


O objetivo do artigo é discutir se há obstrução no mecanismo de transmissão e, por consequência, ineficácia da política monetária no Brasil para o período posterior à implementação do regime de metas de inflação. Para isso, o trabalho inicia com uma análise descritiva que aponta que, após a adoção do regime de metas de inflação, houve mudança na composição da dívida pública e o aumento da concentração do setor bancário, o que indica que a política monetária seguiu uma trajetória de ganho de eficácia e que a transmissão monetária tenha participação efetiva nesse ganho. Partiu-se, então, para a análise empírica, com a aplicação e a estimação de modelos VAR para o período integral (1996 a 2007) e para o período de metas de inflação (2000 a 2007). Os resultados indicam que há diferença ao se tomar apenas o período de metas de inflação. Percebe-se uma mudança não desprezível no comportamento das variáveis entre os modelos estimados para os dois períodos. Os resultados para o período de metas de inflação sugerem que ocorreram ganhos de eficácia da política monetária para determinar variações no produto e na inflação. O comportamento dos bancos indica que não há obstruções claras provocadas pelos mesmos na transmissão monetária.


Palavras-chave


Política monetária; Canal de empréstimos bancários; Canal da taxa de juros; Mecanismos de transmissão monetária

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2176-5456.22023



 
.........................................................................................................................................................................................................................

Indexadores


 PROPESQ  PROPESQ PROPESQ   PROPESQ      PERIÓDICOS UFRGS


 
.........................................................................................................................................................................................................................

Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Faculdade de Ciências Econômicas
Revista Análise Econômica
ISSN 0102-9924 / e-ISSN 2176-5456