ESTRUTURALISMO E NEOESTRUTURALISMO: VELHAS QUESTÕES, NOVOS DESAFIOS

Fabrício J. Missio, Frederico Gonzaga Jayme Junior

Resumo


O trabalho retoma a abordagem estruturalista latino-americana a partir do paradigma “neoestruturalista”, com o objetivo de delinear um marco analítico capaz de agregar os principais fundamentos e estabelecer um núcleo teórico que avança tanto no que se refere à sistematização e às vinculações (relações de causalidade) entre os principais conceitos quanto na direção de sua propagação. Para tanto, são recuperadosalguns dos principais argumentos que justificam o declínio da abordagem estruturalista, assim como éestabelecidoum paralelo entre o neoestruturalismo com o estruturalismo antecessor e com o neoliberalismo. Em seguida, é apresentadaa definição de um marco analítico com os seus principais fundamentos. Centrado no conceito de competítividade sistêmica e ciclo virtuoso, o neoestruturalismo define uma estratégia capaz de alcançar a “high road” da globalização. As considerações finais mostram que essa abordagem entende o processo de globalização como inevitável, mas que seu engajamento é condicionado às políticas adotadas.


Palavras-chave


Estruturalismo; Neoestruturalismo; Competitividade; Crescimento

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2176-5456.20124



 
.........................................................................................................................................................................................................................

Indexadores


 PROPESQ  PROPESQ PROPESQ   PROPESQ      PERIÓDICOS UFRGS


 
.........................................................................................................................................................................................................................

Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Faculdade de Ciências Econômicas
Revista Análise Econômica
ISSN 0102-9924 / e-ISSN 2176-5456