APLICAÇÃO DA NOVA ECONOMIA INSTITUCIONAL AO AMBIENTE PORTUÁRIO: ANÁLISE DOS CUSTOS DE TRANSAÇÃO NO PORTO DE SANTOS

Cintia Retz Lucci, Alcindo Fernandes Gonçalves, Roberto Fava Scare

Resumo


Este artigo tem por objetivo identificar custos de transação no ambiente portuário, em específico o Porto de Santos. O elemento-chave utilizado para a identificação dos custos de transação é a especificidade dos ativos. Assim, o estudo considera as mudanças institucionais promovidas pela "Lei de Modernização dos Portos" (Lei n° 8.630/93) e as mudanças nas operações portuárias. Logo após a lei, novos atores começaram a operar devido ao surgimento de direitos de propriedade que permitiram investimento privado direto. O mapeamento dos custos de transação em três diferentes setores indica existência de especificidades de ativos médias e altas, levando à conclusão que essas transações envolvem importantes custos, sendo necessário aumentar garantias sobre direitos de propriedade para incentivar investimentos das empresas, além de reduzir conflitos e comportamento oportunista.

Palavras-chave


Operação portuária. Custos de transação. Especificidade de ativos.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2176-5456.10860



 
.........................................................................................................................................................................................................................

Indexadores


 PROPESQ  PROPESQ PROPESQ   PROPESQ      PERIÓDICOS UFRGS


 
.........................................................................................................................................................................................................................

Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Faculdade de Ciências Econômicas
Revista Análise Econômica
ISSN 0102-9924 / e-ISSN 2176-5456