O ECOPROTECIONISMO AGRÍCOLA NA UNIÃO EUROPÉIA E SEUS POSSÍVEIS IMPACTOS SOBRE A ECONOMIA BRASILEIRA

Rodrigo Daniel Feix, Cláudio R. Fóffano Vasconcelos

Resumo


Considerando a importância do setor agroexportador como fonte geradora de crescimento e estabilidade para a economia brasileira, objetiva-se, com o trabalho, analisar os impactos na produção, renda e emprego nacionais decorrentes do ecoprotecionismo agrícola europeu. A partir da análise dos dados referentes às variações anuais das exportações agropecuárias brasileiras para a UE em três cenários construídos para o período 2004-2010, pôde-se perceber que, embora o efeito restritivo do ecoprotecionismo não comprometa substancialmente as exportações para a região, em termos agregados, sua dimensão não é desprezível. Tendo em vista que, nos últimos anos, o Brasil vem especializando-se na produção desse setor, o levantamento de novas barreiras comerciais, justamente por seu principal mercado consumidor QJE), pode vir a constituir-se num empecilho importante à manutenção do aquecimento da atividade econômica do país.

Palavras-chave


Ecoprotecionismo. Exportação agrícola. Insumo-produto.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2176-5456.10821



 
.........................................................................................................................................................................................................................

Indexadores


 PROPESQ  PROPESQ PROPESQ   PROPESQ      PERIÓDICOS UFRGS


 
.........................................................................................................................................................................................................................

Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Faculdade de Ciências Econômicas
Revista Análise Econômica
ISSN 0102-9924 / e-ISSN 2176-5456