POPPER, HAYEK E A (IM)POSSIBILIDADE DE PREDIÇÕES ESPECÍFICAS EM CIÊNCIAS SOCIAIS

Brena Paula Magno Fernandez

Resumo


Em A Miséria do Historicismo e A Sociedade Aberta e seus Inimigos Popper defende a posição de que não existem diferenças metodológicas ou epistemológicas significativas entre as ciências naturais e sociais. Cada uma delas teria como objetivo elaborar explicações causais dos fenômenos observados e a seguir testá-las por meio de predições específicas. Em seus últimos ensaios, entretanto, esse ponto de vista é reformulado, já que a importância da causalidade é enfraquecida frente à necessidade do falseacionismo. Hayek, por seu turno, em seus trabalhos sobre a metodologia das ciências sociais, sempre defendeu que as predições nessa classe de fenômenos (que ele classifica como complexos) não podem se referir a eventos discretos, mas sim a classes de eventos. O objetivo deste trabalho é confrontar essas duas posições, argumentando que Popper gradualmente incorpora as propostas de Hayek.

Palavras-chave


Monismo Metodológico. Fenômenos Complexos. Previsões de Padrões de ocorrência. Karl Popper. Friedrich von Hayek.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2176-5456.10691



 
.........................................................................................................................................................................................................................

Indexadores


 PROPESQ  PROPESQ PROPESQ   PROPESQ      PERIÓDICOS UFRGS


 
.........................................................................................................................................................................................................................

Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Faculdade de Ciências Econômicas
Revista Análise Econômica
ISSN 0102-9924 / e-ISSN 2176-5456