DÍVIDA PÚBLICA MOBILIÁRIA FEDERAL BRASILEIRA: HISTORIA RECENTE E PERSPECTIVAS EXPLOSIVAS

Roberto Meurer, Robert Wayne Samohyl

Resumo


O artigo discute a dívida pública mobiliária federal e seus determinantes. Desde 1992, o débito cresceu cerca de 4.000%, para 45% do PIB, e continua crescendo, principalmente em função das elevadas taxas de juros. A política de esterilização da entrada de moeda estrangeira foi um importante fator de expansão até 1998, quando o regime cambial foi modificado para flutuante. Um modelo de evolução da dívida é estimado e diferentes cenários são analisados para um horizonte de 10 anos. A taxa de juros elevada é a componente mais sensível da evolução da dívida federal. O artigo conclui que a dívida cresce rapidamente e há dificuldades para reverter esta tendência no curto prazo. O valor de futuras privatizações ou superávits primários é relativamente pequeno em termos do valor da dívida e como instrumentos de política econômica são, por isso, inócuos.

Palavras-chave


Dívida pública mobiliária. Taxa real de juros. Superávits primários.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2176-5456.10687



 
.........................................................................................................................................................................................................................

Indexadores


 PROPESQ  PROPESQ PROPESQ   PROPESQ      PERIÓDICOS UFRGS


 
.........................................................................................................................................................................................................................

Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Faculdade de Ciências Econômicas
Revista Análise Econômica
ISSN 0102-9924 / e-ISSN 2176-5456